BackBackMenuCloseFecharPlusPlusSearchUluleUluleUluleChatFacebookInstagramLinkedInTwitterYouTubefacebooktwitterB Corporation

O Bando de Surunyo - "Ai dina dina dana"

Música barroca portuguesa para o Natal - 1º CD do ensemble "O Bando de Surunyo"

About the project

Música barroca portuguesa para o Natal - 1º CD d'O Bando de Surunyo

O Bando de Surunyo é um ensemble de música antiga que tem como principal missão o estudo, interpretação e divulgação de música portuguesa dos séculos XVI e XVII. O grupo tem dedicado especial atenção à música daquele que era então um dos mais importantes centros intelectuais, culturais e religiosos da Península Ibérica, o mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Custodiada pela Biblioteca Geral da Universidade desta mesma cidade, a música de Santa Cruz constitui hoje um dos mais importantes tesouros do património imaterial seiscentista ibérico. Reunida numa colecção de 16 volumes compilados no mosteiro durante as décadas de 1640 e 1650, mais de 2500 páginas manuscritas exibem música de uma riqueza e diversidade extraordinárias, a maior parte da qual permanece ainda por descobrir.

O projecto de gravação para o qual pedimos aqui o vosso apoio é o natural culminar de uma intimidade nutrida com a música de Santa Cruz de Coimbra no decurso dos últimos três anos, aliada à experiência performativa acumulada através de muitos concertos a ela inteiramente dedicados. Da grande quantidade de obras que já interpretámos, a selecção de repertório para o nosso CD de estreia recaiu sobre a música de Natal, uma temática fortemente representada na colecção dada a importância da qual esta festa se revestia na cultura peninsular do século XVII. A frescura, beleza e luminosidade desta música colocam-na ombro a ombro com as suas congéneres dos centros mais importantes da Europa seiscentista, merecendo pois, de todo o direito, ser resgatada do obstinado silêncio no qual que permanece há mais de 350 anos.

https://www.surunyo.com
https://www.facebook.com/surunyo/
https://www.youtube.com/c/OBandodeSurunyo​
email: [email protected]

 

What are the funds for?

A gravação de um CD é uma operação que envolve uma logística complexa e uma exigente gestão de meios humanos e técnicos. Ai dina, dina, dana será gravado durante um período de 6 dias (21-22 e 26-29 de Dezembro de 2019) por uma equipa de 20 pessoas compreendendo músicos, equipa de produção e técnicos de gravação. Os fundos obtidos através desta campanha contribuirão na sua totalidade para financiar a gravação.

Ao apoiarem este projecto, tornam-se elementos activos da nossa equipa, participando no esforço de descoberta e preservação do nosso riquíssimo património imaterial. Devolver a voz a esta refulgente e empolgante música, é não só recuperá-la de séculos de injusto oblívio, mas também trazer à luz nova informação de crucial importância para aprofundar o nosso conhecimento da história de música portuguesa, ibérica e europeia do século XVII.

 

About the project owner

O Bando de Surunyo é um grupo especializado na interpretação de música dos séculos XVI e XVII. O nome é retirado de um vilancico de negro seiscentista português e significa “bando de estorninhos”. O ensemble é a frente interpretativa e laboratorial de um projecto multidisciplinar que incide particularmente sobre repertório inédito albergado por fontes portuguesas, apresentando em quase todos os seus concertos obras em primeira audição moderna. O projecto abrange música tanto de aquém como de além fronteiras, tendo como objectivo proporcionar ao público, através da música e da poesia, o contacto com a pluralidade, ecletismo e riqueza do pensamento e imaginário do renascimento e barroco europeus.

A íntima relação entre som e palavra que emerge na música na transição do Quinhentos para o Seiscentos é o eixo central da nossa abordagem ao estudo e interpretação do repertório. O som colocava-se então ao serviço da palavra, veiculando, ilustrando e potenciado o seu conteúdo poético e afectivo. A transmissão eficaz e eloquente desse conteúdo nas suas múltiplas leituras e funções - literal, teatral, histórica, simbólica, religiosa, política e filosófica - constitui a base para a construção de uma concepção interpretativa que persegue hoje o mesmo objectivo da música de então: divertir e comover o público através da palavra, do gesto e do som. Ou, nas famosas palavras de Cícero: docere, delectare, movere. Todo o projecto assume pois um alcance estético e comunicativo alargado onde, fazendo uso de práticas interpretativas e instrumentos históricos, se procura criar um objecto artístico pertinente, significativo e impactante para o público de hoje.

 

Sobre a equipa

O Bando de Surunyo é composto por uma equipa ecléctica de músicos, reunindo a experiência de especialistas em interpretação de música renascentista e barroca com a frescura de jovens cantores de excelência. A nossa abordagem interpretativa alicerça-se assim sobre um sólido suporte de práticas performativas históricas, criando, em simultâneo, um importante espaço para a experimentação e novos olhares sobre a música do século XVII. 



Todo o trabalho artístico e musical tem como base o rigoroso estudo das fontes de música em línguas romance (castelhano, galego, português, etc.) do mosteiro de Santa Cruz realizado em sede do projecto Mundos e Fundos do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra. Através dele, é nos dado a conhecer uma realidade cultural bem distinta da dos dias de hoje mas que faz parte incontornável da nossa história. Esta profunda imersão no contexto cultural e performativo da época permite-nos descobrir e interpretar condignamente uma música que, apesar de ser o produto de um passado já distante, mantém ainda hoje a capacidade de nos surpreender, divertir e comover.

 

Sobre o director artístico

Hugo Sanches é o director artístico e coordenador de todo o projecto. É doutorado em Estudos Musicais pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), mestre e licenciado em Performance (Música Antiga) pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Politécnico do Porto (ESMAE), e pós-graduado em Psicologia da Música pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Possui uma experiência de mais de 15 anos como músico free-lancer especializado em música renascentista e barroca mantendo uma agenda regular de apresentações públicas como director, solista e músico de ensemble. É professor no Curso de Música Antiga da ESMAE onde lecciona instrumento (alaúde), música de câmara, ensemble renascentista, e teoria e prática performativa histórica. Integra ainda a equipa de professores da inovadora pós-graduação "Polyphonia" (Estudos Avançados de Polifonia) da mesma escola. 
É investigador do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da FLUC onde se dedica sobretudo ao estudo dos manuscritos musicais seiscentistas albergados pela Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC). Este trabalho tem-se materializado em duas frentes; uma performativa, através d'O Bando de Surunyo, ensemble que fundou em 2015; ao nível científico, a sua tese de doutoramento - "Que sonoramente canta" - defendida em Fevereiro de 2019, é um trabalho monográfico aprofundado sobre a música em línguas romance em Portugal no século XVII, incluindo a edição de 44 obras até hoje desconhecidas.

 

Share Follow us